Instituições públicas unem forças em projeto de irrigação de cultura agrícola com fontes de energia renováveis

Instituições públicas unem forças em projeto de irrigação de cultura agrícola com fontes de energia renováveis

18

Fev

2019

A união de forças entre instituições públicas deu início ao desenvolvimento para o projeto “Sistema de Irrigação Automático e Autossustentável para a Região do Semiárido Alagoano que Margeia o Canal do Sertão”. Nesta união estão envolvidas Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e Instituto Federal de Alagoas (Ifal).

 

Com a instalação de uma turbina eólica e placas de energia solar para testar a geração de energia, foi iniciada a primeira etapa do projeto. O teste em escala reduzida, foi realizado pelo Instituto de Computação da Ufal. No Polo Tecnológico Agroalimentar de Arapiraca, a segunda etapa já está em andamento, onde a administração de toda a estrutura é realizada pela Uneal. Com esquema parecido, também foram instaladas uma turbina eólica e placas de energia solar, mas desta vez, para alimentar um sistema de irrigação por gotejamento.

Ao fim do estudo, o Instituto de Computação da Ufal pretende desenvolver um programa que irá controlar o sistema, também via internet.

Resultado de imagem para irrigação por gotejamento

Irrigação por gotejamento

Considerado o método mais eficiente de irrigação, o gotejamento entrega água e nutrientes diretamente às raízes da planta na quantidade e momentos certos, para que cada uma receba exatamente o que necessita para se desenvolver. Com este método é possível que os agricultores aumentem seus rendimentos e economizem água, fertilizantes e energia.

Seu funcionamento se dá pelo transporte da água por “tubos gotejadores” onde em seu interior estão os elementos essenciais para a eficiência do sistema que são conhecidos como “gotejadores”. A aplicação é uniforme em todo o cultivo sendo cada gotejador responsável por emitir diretamente à raiz cada gota contendo água e fertilizantes na quantidade e momentos ideais.

Seus benefícios são bem avaliados e o método tem o diferencial de proporcionar não apenas um maior retorno sobre investimento (ROI) comparado aos outros, mas também trazer praticidade, simplicidade e eficiência na operação de sua agricultura. Os maiores destaques são:

– Aumentos consistentes de qualidade da produção;

– Grande economia de água: sem evaporação, sem escoamento e sem desperdício;

– 100% de utilização da sua terra – irriga uniformemente em qualquer área, topografia e tipo de solo;

– Economia de energia: a irrigação por gotejamento funciona com baixa pressão;

– Menor dependência do clima, maior estabilidade e menores riscos;

Resultado de imagem para irrigação por gotejamento

Além disso, as plantas produzem mais com o método de irrigação por gotejamento pois este é altamente disponibilizado de água e nutrientes e são distribuídos sob medida para as necessidades de desenvolvimento da planta. Não tem saturação e mantém boa aeração do solo, além de evitar a alta salinidade causada pela aplicação excessiva de fertilizantes. E não molha as folhas, evitando doenças provocadas por fungos.

Ainda em suas vantagens, presencia-se uma ação socioeconômica sustentável de grande importância já que ela reduz o impacto da seca e das mudanças climáticas na produção de alimentos, evita a contaminação de lençóis freáticos e rios causada pela lixiviação de fertilizantes e apoia as comunidades rurais, reduz a pobreza e a migração para as cidades.

Contudo, o projeto “Sistema de Irrigação Automático e Autossustentável para a Região do Semiárido Alagoano que Margeia o Canal do Sertão” também é contribuinte para a redução do uso de motores a diesel e a diminuição do custo de energia elétrica, além do racionamento de água fornecendo ao sistema de irrigação agrícola o controle do uso para as culturas, gerando maior produtividade e qualidade do produto final.